segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Articulação de Esquerda do Maranhão realiza conferência de reorganização



Militantes da Articulação de Esquerda do Maranhão, militantes de outras forças políticas do PT como Democracia Socialista, Tendência Marxista e Luta Solidária, militantes independentes, representantes do movimento estudantil, da juventude, do movimento sindical, do movimento de mulheres e de movimentos populares reuniram-se na sede do sindicato dos bancários em São Luís no último sábado, dia 12 de fevereiro para realizar a Conferência Extraordinária de reorganização da Articulação de Esquerda do Maranhão.
Estiveram presentes aos trabalhos três fundadores do PT no Maranhão: Jomar Fernandes ex prefeito de Imperatriz, Luís Carlos Cintra, militante de esquerda e Francisco Gonçalves da Conceição, professor universitário. Estiveram presentes também presidentes de diretórios municipais do PT no Maranhão e dirigentes partidários dos mais diversos níveis.
Na mesa de abertura Jomar Fernandes e Francisco Gonçalves trataram da história do PT, da AE, dos desafios para a esquerda no Brasil e no Maranhão e do novo momento social, econômico, político e cultural que o país vive. O projeto democrático e popular, que sempre foi protagonista das lutas políticas no país, assumiu um viés socialista com a intervenção do PT na vida política do Brasil. O PT enfrentou a luta contra a ditadura, a luta contra o neoliberalismo e o desafio de governar um país com as dimensões do Brasil. Uma vez governo o PT teve de enfrentar as contradições do sistema político em vigência. Garantir a governabilidade e abrir o partido à alianças mais ao centro. Na medida em que o governo Lula inicia um processo de mudança social, econômica se aprofundam as contradições políticas com o fortalecimento de oligarquias regionais, sobretudo com a aliança Lula-Sarney. O maranhão nesse sentido segue na contramão do processo de mudanças que o Brasil passa.
Por outro lado Francisco Gonçalves chama atenção ao fato de que as políticas sociais do governo Lula são necessárias mas não são suficientes. O horizonte utópico dos segmentos excluídos do país não pode ser a entrada no mercado consumidor do país. É preciso politizar a inclusão social e continuar o processo de organização das massas populares no Brasil. Essa é uma tarefa que cabe ao partido e AE tem um papel fundamental nesse processo. Por outro lado é preciso entender a relação entre oligarquias regionais e o patrimonialismo como componente estrutural da formação social brasileira para reconhecer que este é um debate estratégico para o projeto histórico de transformação sociais do PT e não apenas uma questão secundária e marginal..
A conferência aprovou uma direção estadual da corrente no estado e um secretariado estadual. O secretariado é composto por Organização, Formação Política, Frente Institucional, Frente de Massas e Comunicação. A conferência aprovou também duas resoluções políticas. Uma defende as conquistas do governo Lula e afirma a necessidade de que a administração Dilma seja superior aos dois mandatos de Lula. Conclama as forças de esquerda do PT e fora do PT à construir um programa político qualificado para apresentar à sociedade maranhense como alternativa política ao sistema oligárquico em vigência. Realizar oposição crítica e firme ao governo Roseana Sarney em aliança com os movimentos sociais e as forças políticas de esquerda do estado e, para 2012, construir candidaturas própria do PT para São Luís e as principais cidades maranhenses. A segunda resolução é uma defesa da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Tecnológico do Maranhão como instrumento estratégico para educação, o conhecimento, o desenvolvimento científico do estado do maranhão. Repudia as irregularidades administrativas e desvio de finalidade dos recursos para pesquisa científica evidenciadas com as denúncias em torno da FAPEMA, defende e apoia a apuração rigorosa pelas instituições competentes com punição para os responsáveis.

Comunicação AE-Ma





3 comentários:

MOISÉS DIAS DE BRITO disse...

Bem verdade que podemos contar algumas pessoas de esquerda nesta articulação. Mas ocorre de fato uma grande falta de articulação e nas articulações propostas temos pessoas bem pouco articuladas seja na esquerda ou na direita, e que não sabem a lei(CF) que fundamenta a ação prática em todas as esferas. Também sabem bem pouco desta relação de cidadania e constituição federal. Não são todos, mas alguns podem se articular melhor por sí mesmos sem ir para a esquerda e/ou direita.

Emanuel Souza disse...

Ei bruno,
parece que a articulação de direita do pt tá bem mais prestigiada que vocês.

blog do Walney Batista disse...

Olá amigo,bem estou começando um trabalho e gostaria que você também mim seguisse no blog do Walney Batista,sua presença só vem a enriquecer ainda mais minha página.De já agradeço e obrigado.